03

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

JOÃO QUEIROZ

                   JOÃO QUEIROZ DE SOUZA nasceu no dia 15 de novembro de 1941, no Sítio Maniçoba, município de Pau dos Ferros, filho de José Alves de Queiroz e Maria Fiel de Souza, tendo 06 irmãos: José Alves de Queiroz Filho, Cícero Queiroz de Souza, Maria das Dores de Queiroz, Raimunda Fiel de Queiroz, Francisca Fiel de Queiroz e Ana Maria de Queiroz (in memorian).
Os pais, agricultores de vida simples e regrada pela labuta diária no campo, com uma prole numerosa, não tiveram condições de proporcionar aos filhos uma boa educação escolar devido, principalmente, às dificuldades da época: morando na zona rural, distante dos centros educacionais das zonas urbanas; dificuldades financeiras e a necessidade do empenho de todos os filhos nas atividades do campo para o sustento do dia-a-dia da família, não foram fatores suficientes para barrar a criatividade e a determinação de João Queiroz em busca de rumos audaciosos e conquistas grandiosas, que se podem descrever na história de um homem na construção, eternização e honradez da simplicidade dos sobrenomes Queiroz e Souza.
João Queiroz de Souza casou-se em 12 de maio de 1962, com a prima Maria Salete de Queiroz, filha de Israel Martins do Nascimento e Antonia Alves de Queiroz.
O jovem casal, ele com 19 anos e ela com 17 anos, naturais do sítio Maniçoba zona rural de Pau dos Ferros, iniciaram sua vida conjugal nesta localidade. Ele, agricultor e pequeno comerciante e ela, prendas do lar, constituíram uma família de 13 filhos: Maria Eliane de Queiroz, Maria Elenilda de Queiroz, Eraldo Alves de Queiroz, Everasmo Alves de Queiroz, Maria Erivan de Queiroz, Eliomar Maria de Queiroz, Egrimaldo Alves de Queiroz, Alexandro Alves de Queiroz, Kariell Kalline de Queiroz, Evanaldo Alves de Queiroz, Maria Elinete de Queiroz, Cosme Alves de Queiroz e Damião Alves de Queiroz (os quatros últimos in memorian), sendo avô de 11 netos e bisavô de uma bisneta.
O jovem João Queiroz se destacava na localidade de maniçoba pela sua espontânea vontade de servir aos mais humildes, principalmente na área de saúde, quando se tratava de enfrentar as dificuldades para se conseguir uma consulta médica, uma cirurgia, aplicar uma injeção, até mesmo para ir buscar uma parteira na hora da mulher ganhar menino (dar a luz), como se fosse o enfermeiro daquele setor rural, o que o proporcionou muitos convites para ser padrinho dos recém-nascidos, que era uma forma de agradecimento por parte dos que se sentiam beneficiados pela sua bondosa ação ou, se preferir, pelo o favor feito.
O seu primeiro emprego foi como operário na Indústria de Torrefação e Moagem de Café marca três estrelas, de propriedade do Sr. Gentil Estevão do Rêgo, localizada na Travessa do Mercado nº 84, em Pau dos Ferros – RN, sendo admitido em 01 de julho de 1970.
A sua humildade e a sua luta contínua em prol dos mais necessitados, somando-se ao apoio dos familiares, amigos e do grande líder político da época, seu Compadre e Amigo Dr. Pedro Diógenes Fernandes, levaram-no ao desafio de ser candidato a vereador nas eleições de 15 de novembro de 1970, pela Aliança Renovadora Nacional – ARENA, sendo eleito para o seu primeiro mandato (31/01/1971 a 31/01/1973), com 245 (duzentos e quarenta e cinco) votos, dos 3.303 eleitores aptos a votarem naquele pleito eleitoral.
Como não havia remuneração na época para o cargo de vereador, e preocupado com o sustento de sua família, ele conseguiu o seu segundo emprego como auxiliar de balcão na mercearia de propriedade do Sr. João de Deus de Queiroz (João de Cilíro), localizada no Sítio Areias, zona rural de Pau dos Ferros – RN, sendo admitido em 02 de janeiro de 1973.
O seu terceiro emprego foi como funcionário público municipal de Pau dos Ferros (Fiscal do Matadouro e Açougue Público), admitido em de 01 de janeiro de 1974, que veio proporciona-lhe a aposentadoria por tempo de serviço através do Instituto Nacional de Seguridade Social - INSS em 28 de março de 2001.
Foi eleito para o seu segundo mandato de vereador (31/01/1973 a 31/01/1977) nas eleições de 15 de novembro de 1972, pela Aliança Renovadora Nacional – ARENA, com 171 (cento e setenta e um) votos, dos 2.449 eleitores aptos a votarem.
Eleito para o seu terceiro mandato (31/01/1977 a 31/01/1983) nas eleições de 15 de novembro de 1976, pela Aliança Renovadora Nacional – ARENA, com 417 (quatrocentos e dezessete) votos dos 4.176 eleitores aptos a votarem, alcançando o 1º lugar naquele pleito eleitoral, tendo inclusive assumido a presidência da Câmara Municipal, no período de 28/02/1979 a 27/02/1981.
Eleito para o seu quarto mandato (31/01/1983 a 31/12/1988) nas eleições de 15 de novembro de 1982, pelo Partido Democrático Social – PDS, com 240 (duzentos e quarenta) votos dos 5.974 eleitores aptos a votarem naquela eleição.
Enfim, João Queiroz foi Eleito para o seu quinto e último mandato (01/01/1989 a 31/12/1992) nas eleições de 15 de novembro de 1988, pelo Partido da Frente Liberal – PFL, com 276 (duzentos e setenta e seis) votos. Uma de suas importantes atuações neste mandato foi sua participação como parlamentar constituinte na Reforma da Constituição Municipal do nosso município, no ano de 1990.
Concluído o seu quinto e último mandato de vereador no município de Pau dos Ferros em 31.12.1992, João Queiroz Aposentou-se através da Carteira Parlamentar que era vinculada ao Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Norte - IPE/RN, em 01 de janeiro de 1993, deixando um legado de lutas e conquistas nos campos do trabalho, da amizade e da política, que culminaram no alicerce e base da carreira política do seu sucessor, o seu filho ERALDO ALVES.
Admirado pelos mais humildes, respeitado por todos, querido e eternizado pelos seus familiares e amigos, JOÃO QUEIROZ DE SOUZA morreu, vítima de falência múltipla dos órgãos, ocasionada por um câncer de pulmão, no dia 08 de agosto de 2006, na casa de saúde São Lucas em Natal, capital do Rio grande do Norte.




Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

As postagens que venham a desrespeitar moralmente ou legalmente a algo ou alguém, serão excluidas.. Para evitar que isso aconteça evite esses tipos de comentários.. Desde já agradecemos..