03

quinta-feira, 7 de março de 2013

POETA PAUFERRENSE LANÇA LIVRO AO LADO DO PRESIDENTE DA ACADEMIA DE LETRAS DO RN, DIÓGENES DA CUNHA LIMA.



Ao lado do Presidente da Academia de Letras do RN, Diógenes da Cunha Lima, o jovem poeta pauferrense Yuri Hícaro, lança seu primeiro livro intitulado “Um Canto conforme à noite”, pela coleção Cultura Potiguar numa realização da Fundação José Augusto. O lançamento ocorrerá na Pinacoteca do Estado que fica localizada no antigo Palácio do Governo, situado no bairro Cidade Alta, centro de Natal, às 9 horas da manhã do dia 14 de março, O DIA NACIONAL DA POESIA. O convite está aberto, a entrada é franca e quem quiser pode ir compartilhar com o autor a alegria e o fervor de sua obra. Abaixo, deixo o texto encaminhado pelo próprio Yuri, falando da peregrinação que fez até a este sonhado dia.


A GENESI DE “UM CANTO CONFORME A NOITE”

Toda essa história de escrever poesias veio depois já de um tempo escrevendo trabalhos em prosa. Em Maio de 2005 (então com 17 anos) foi escrito o primeiro poema daqueles que seriam reunidos nessa obra literária intitulada “Um Canto Conforme a Noite”. Em Novembro de 2007 foi concebida concluída a obra com todo o texto reunido, com ideias e temáticas já trabalhadas, com formato planejado. Havia, no entanto, a ausência da capa e do prefácio. Este foi escrito em 2008 pela Prof. Iandra Fernandes, divisor de águas na minha vida enquanto autor, como condutora para o horizonte da vida literária. Aquele, apenas no ano de 2009 quando pude conviver com o Artista Visual e Gráfico, Renê Dalton. O artista ficou meses lendo minha obra a fim de desenvolver a capa dessa edição que, em verdade, não poderia ser outra. A partir de então é que começa a travessia de um autor em luta renhida para publicar sua primeira obra. Foram dores existenciais devido sentimentos de frustração. Era-me inalcançável a publicação.

Por um lado, a minha produção literária estava altíssima. Frequentava os eventos literários que poderia haver na região, como lançamento de livros, congressos acadêmicos, feira-de-ciências, etc. No entanto não havia perspectiva financeira e nem apoio político (vivia como imerso numa miséria intelectual). Quando em 2010 surge o Edital da Coleção Literatura Potiguar, lançado pela Fundação José Augusto, que beneficiaria trinta autores potiguares com o lançamento de seus livros. Não perdi tempo, escrevi um projeto e me inscrevi, o projeto voltou para ser readequado de acordo com as normas. Meti a cara nele e me inscrevi novamente, no dia limite das inscrições.

Outras turbulências surgiram nesse percurso, como por exemplo, o silêncio sepulcral da Fundação após minhas inscrições, na verdade foram anos. Apenas em Junho de 2012 telefonaram-me para me parabenizar, pois meu projeto havia sido contemplado pelo edital. Depois disso, foi mais um ano de reorganização do livro de acordo como modelo que me pediram, um período nostálgico, revivendo minha obra, surpreso pela metamorfose que houve nos meus versos entre os anos de 2007 a 2013. Juntamente com o lançamento de “Um Canto Conforme a Noite”, concluo o esboço de “Um Corpo Que Cai”, como sequência à minha obra poética.  

Por Manoel Cavalcante.

Um comentário:

  1. É-me possível descrever esta alegria noutra rima que não seja poesia?

    ResponderExcluir

As postagens que venham a desrespeitar moralmente ou legalmente a algo ou alguém, serão excluidas.. Para evitar que isso aconteça evite esses tipos de comentários.. Desde já agradecemos..